Com arte e imaginação tudo se consegue

Com arte e imaginação tudo se consegue

Com arte e imaginação tudo se consegue

espacamento

Com arte e imaginação tudo se consegue

Quinta-feira, 25 de junho de 2020

 

Este mês está a decorrer uma campanha do "Portugal Sou Eu" na televisão, rádio e meios digitais. Nada de novo e que não se recomende durante esta maldita pandemia. Evoco a campanha, não pela sua clara pertinência, mas pelas condições excecionais em que foi feita.

Estava eu em pleno período de confinamento, já depois de decretado o estado de emergência, e recebo uma chamada da coordenadora do programa "Portugal Sou Eu" a comunicar-me que tinha sido decidido pela parceria lançar de imediato uma campanha de publicidade para promover o consumo de produtos portugueses. A minha primeira reação foi perguntar "Como?!". Pediram-me então para contactar todos os Embaixadores do programa no sentido de nos facultarem filmes e fotografias que pudessem ser trabalhados em back office por uma agência de publicidade, já que não havia hipótese de recolher imagens ou gravar sons em direto.

Confesso que tive sérias duvidas sobre o resultado desta miscelânea, feita de uma manta de retalhos em que a bota dificilmente jogaria com a perdigota. Ainda para mais a minha missão era convencer distintas figuras públicas que este projeto seria um sucesso se todos colaborassem. Com a ajuda de um briefing bem estruturado e de muita inspiração lá contactei os Embaixadores e os seus agentes, mostrando que estava convicta desta emergência nacional.

A primeira surpresa que tive foi a adesão quase generalizada dos Embaixadores. Em tempo record foram-me enviadas fotografias e filmes com qualidade, ainda que todos os meus contactos estivessem totalmente confinados em casa. A segunda surpresa foi constatar que figuras públicas de inequívoca notoriedade aceitaram que a sua imagem aparecesse associada à de outro Embaixador, eventualmente concorrente, mostrando que, num momento como o que estamos a atravessar, há que reunir todos os esforços em defesa do interesse nacional. A improvável associação da Cristina Ferreira à Fátima Lopes, foi a que mais me surpreendeu já que, figuras de peso de canais de televisão concorrentes, aceitaram este desafio sem pestanejarem. Por último destaco o trabalho excecional de produção e de realização que uma equipa que eu mal conheço levou a cabo. De facto, com arte e imaginação tudo se consegue! Ora vejam:

 

      

      

 

Rosário Louro

Diretora-Geral