Que raio de ano!

Que raio de ano!

Que raio de ano!

espacamento

Que Raio de Ano!

Quinta-feira, 30 de dezembro de 2020

 

Acabei de reler o editorial da Newsletter que escrevi em dezembro de 2019 e não pude deixar de me rir com o tom simplista e otimista com que encarei o futuro.

A vida da Jervis parecia estar a correr sobre rodas - novo escritório, novos clientes, tudo apontava para um futuro risonho e promissor.

Só que há fenómenos que nos transcendem e nos trocam as voltas num ápice. A pandemia que veio da China foi um desses fenómenos: uma verdadeira hecatombe mundial no plano sanitário, económico, social e politico. Ninguém foi poupado!

Felizmente, o ser humano tem um instinto de sobrevivência nato e a inteligência necessária para ultrapassar todo o tipo de obstáculos. Na verdade, se houver sensatez e bom senso até se podem tirar grandes lições desta crise e preparar um futuro melhor para todos, mas adiante… esse não é agora o tema deste editorial.

O ano 2020 na Jervis foi semelhante ao de muitas outras empresas:

  • Em janeiro tínhamos os planos de atividade fechados para todos os clientes e uma Feira das Viagens em preparação, com um novo formato mais moderno e apelativo. Tudo parecia correr sobre rodas.
  • Em fevereiro começámos a ficar preocupados com as notícias da chegada do coronavírus à Europa mas, ainda assim, acreditámos ingenuamente que poderíamos manter todas as atividades que estavam planeadas.
  • Em março o vírus chega a Portugal e em pouco mais de uma semana entrámos em confinamento, adiando as ações que estavam programadas para o segundo semestre, novamente na ingénua expectativa de que os bons ares do verão trariam o regresso à normalidade.
  • Em junho tomámos consciência de que o ano estava perdido e que só nos restava ir “gerindo a nossa sobrevivência” até que aparecessem as tão desejadas vacinas.
  • Em novembro, as notícias da aprovação das primeiras vacinas e o planeamento do lançamento das mesmas na Europa abrem uma nova janela de esperança
  • Esta semana começou o programa de vacinação em Portugal e em toda a Europa mas mesmo assim o clima de incerteza é grande porque o regresso à normalidade ainda é difícil de antecipar.

Tem sido uma experiência desgastante e triste, porque vimos partir muitos dos que nos são queridos e assistimos diariamente ao desespero de milhares de famílias e de empresas que, em muito pouco tempo, ficaram sem nada.

Mas, ao mesmo tempo, tem sido reconfortante constatar o espírito de entreajuda que se instalou a todos os níveis. A pandemia aproximou-nos espiritualmente, obrigou-nos a rever conceitos, a redefinir prioridades, a consolidar valores. Acima de tudo, foi um ano em que o melhor da natureza humana e a vontade de vencer se impuseram.

Na Jervis, fomos obrigados a ser mais criativos e a explorar domínios que estavam adormecidos. Conseguimos estar mais juntos apesar de estarmos separados. Conseguimos desdobrar-nos sempre que foi preciso. O espírito de equipa vingou.

Partimos para 2021 com a sensação do dever cumprido e a convicção de que vamos sair mais fortes do que nunca. Sei que nem todos partilham deste meu otimismo, mas não conheço outra forma de seguir em frente.

Deixo uma palavra de agradecimento aos clientes que acreditaram em nós e que partilharam connosco este ano tão difícil.

Deixo também uma palavra de profundo reconhecimento aos nossos colaboradores que, em todos os momentos, arregaçaram as mangas e se multiplicaram em esforços para não falharmos.

Para o ano cá estaremos cheios de força e energia. Contem connosco!

Um bom ano para todos

 

Rosário Louro

Diretora-Geral